Peixes de Poças de Maré da Província Brasileira: Sistemática, Ecologia e Aspectos Funcionais

Nome: Raphael Mariano Macieira
Tipo: Tese de doutorado
Data de publicação: 05/03/2013
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Jean-Christophe Joyeux Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Angelo Fraga Bernardino Examinador Interno
Jean-Christophe Joyeux Orientador
Levy de Carvalho Gomes Examinador Externo
Maurício Hostim Silva Examinador Interno
Tommaso Giarrizzo Examinador Externo

Resumo: De forma geral, as comunidades de peixes do entremarés da costa brasileira ainda estão pouco estudadas em diversos níveis e aspectos. Mesmo o conhecimento basal, como por exemplo, a sistemática dos peixes ainda carece de informação. Esse fato é comprovado pelo elevado número de espécies de peixes do entremarés descritas nos últimos anos; por exemplo: Acyrtus pauciradiatus, Barbulifer enigmaticus, Labrisomus conditus, Malacoctenus brunoi, Paraclinus arcanus, Scartella itajobi e Scartella poiti. Outras espécies, como por exemplo Gobiosoma hemigymnum, foram descritas a partir de poucos espécimes (1 no exemplo citado), e portanto, sua identidade taxonômica precisa ser mais bem definida, assim como aspectos relacionados biologia, ecologia e etologia devem ser estudados. Essa carência de informações dificulta o entendimento dos padrões de riqueza e distribuição das espécies ao longo desse ecossistema. Desta forma, um maior esforço de coleta ao longo da província brasileira é fundamental. Da mesma forma, as comunidades de peixes de poças de maré do Atlântico sudoeste ainda tem sua estrutura, composição e funcionamento desconhecidos pela ciência. A ilha da Trindade, por exemplo, possui uma comunidade de peixes costeiros com um elevado nível de endemismo. Porém, até o momento nenhuma investigação havia abordado aspectos relacionados à ecologia dos peixes de poças de maré. Os peixes, em geral, são responsáveis por desempenharem funções chaves para a saúde dos ecossistemas aquáticos, e podem ser agrupados de acordo com suas funções. A investigação dos grupos funcionais pode ajudar a entender o funcionamento do ecossistema, e verificar como os impactos antrópicos interferem na continuidade das funções desempenhas pelos peixes (e.g., herbivoria). Deste modo, o presente trabalho buscar preencher lacunas de conhecimento relacionadas à taxonomia, à ecologia e aos aspectos funcionais, das comunidades de peixes de poças de maré da província brasileira.

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910