VALES INCISOS E SEU PAPEL COMO RECIFES MESOFÓTICOS NA PLATAFORMA CONTINENTAL DO ESPÍRITO SANTO

Nome: Natacha de Oliveira
Tipo: Tese de doutorado
Data de publicação: 25/06/2021
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Alex Cardoso Bastos Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Alex Cardoso Bastos Orientador
Fabian Sá Suplente Interno
Helenice Vital Examinador Externo
Jacqueline Albino Suplente Interno
Leila de Lourdes Longo Examinador Externo
RENATA CARDIA REBOUCAS Examinador Externo
TEREZA CRISTINA MEDEIROS DE ARAUJO Examinador Externo

Resumo: A pressão sobre o ambiente marinho, crescente com o decorrer dos anos, tem levado à estudos para melhor conhecer e assim gerenciá-lo levando em conta fatores ecológicos, ambientais e humanos. Assim, a análise e monitoramento dos sistemas marinhos costeiros e oceânicos, bem como o planejamento espacial para fins de uso e conservação se tornaram questões importantes para avaliar impactos e prover um uso sustentável do ambiente O mapeamento de habitat é baseado em uma análise interdisciplinar do fundo do mar para entender quais são as variáveis dominantes e determinantes que controlam a distribuição dos habitat bentônicos e assim auxiliar em políticas de gestão destessistemas. Neste sentido, este trabalho traz uma análise multi-escalar da Plataforma Continental do Espírito Santo (PCES), com finalidade de identificar os habitats presentes nela e verificar a variação dos mesmos para posterior análise em menores escalas, como na Área de Proteção Ambiental (APA) Costa das Algas e posteriormente mais especificamente nos vales incisos da APA. Na PCES, destacam-se aqui os habitats mesofóticos, caracterizados por comunidades associadas dependentes da luz variando de 30 a 40 m de profundidade e podendo se estender para mais de 150 m de profundidade em regiões tropicais e subtropicais, e responsáveis por aumentar a biodiversidade. Esta tese combinou métodos indiretos como geomorfometria (Benthic Terrain Modeler) e amostragem geoacústica (eco-sonda multifeixe), e métodos de amostragem diretas, sendo estes vídeoimageamento (Dropcams), dados físico-químicos da coluna d´água e cobertura sedimentar (por meio de resultados de trabalhos pretéritos). No decorrer dos capítulos e com a combinação dos métodos supracitados foi possível observar uma grande variedade de classes de habitat, tanto na PCES como concentrados na região da APA Costa das Algas e sobre a área dos vales incisos. Para os três focos de estudo (macro, meso e micro escala), ficou evidente que a morfologia da plataforma derivada das flutuações do nível do mar junto a entrada de sedimentos e as taxas de produção de carbonato definem a heterogeneidade e o padrão de distribuição dos habitat. Quanto mais heterogênea mostrou ser cobertura sedimentar e quanto mais variado o gradiente morfológico, maior foi o potencial das áreas para o desenvolvimento de habitats bentônicos e diversidade bentônica. As principais feições morfológicas proeminentes, principalmente os vales incisos com suas paredes íngremes frequentemente associadas a bancos de recifes originados por bioconstruções carbonáticas e os fundos rugosos, são considerados um legado de regressão e transgressão marinha. Estes vales afogados representam estruturas tridimensionais que podem preservar maior riqueza de biodiversidade mesofótica comparado a um fundo flat, podendo formar mais de um habitat específico na plataforma continental. Junto aos vales, os leitos de rodolitos são considerados habitat mesofóticos importantes, e ambos desempenham funções ecológicas fundamentais para a manutenção da biodiversidade merecendo atenção e requerendo políticas de manejo que visem sua proteção e melhor gestão. Em uma área como a APA Costa das Algas, onde são encontrados diversos habitat e que está susceptível a atividade pesqueira (exploração e explotação de organismos marinhos e algas), extração de nódulos calcários, atividade de mineração (dragagem) e petrolífera (instalação de dutos), o mapeamento aqui realizado pode abrir portas para um subsequente planejamento espacial marinho que englobe e/ou valorizem os habitat de profundidade afim de proteger os recursos vivos dos mesmos.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910