RECONSTRUÇÃO PALEOECOLÓGICA E PALEOAMBIENTAL DA PLATAFORMA CONTINENTAL DE ABROLHOS – QUALIFICAÇÃO TÉCNICA DA EQUIPE EM DEPÓSITOS E ROCHAS CARBONÁTICAS

Resumo: O Período Quaternário é marcado por mudanças climáticas globais que impuseram grandes variações eustáticas do nível do mar, conduzindo à alterações significativas no padrão ecológico e sedimentar das margens continentais. Os últimos 20 mil anos foram marcados por um máximo glacial seguido por um período de deglaciação que inundou as plataformas continentais, impondo assim toda uma mudança no regime de sedimentação e nos padrões ecológicos das plataformas continentais. Registros destas mudanças estão presentes nos sedimentos e rochas que compõem a sequência estratigráfica destas plataformas. Dentro deste contexto, a Plataforma de Abrolhos apresenta uma complexa heterogeneidade que reflete sua evolução entre o máximo glacial e a última transgressão. Caracterizada por um mosaico de fundos inconsolidados, bancos de rodolitos e recifes “vivos” e afogados, a plataforma de Abrolhos constitui um ótimo exemplo de plataforma carbonática/mista moderna que pode ser usada como modelo para investigar a evolução paleoecológica, paleoclimática e paleoambiental e entender como os processos sedimentares e os recifes responderam à deglaciação. Considerando o foco do edital, o objetivo principal da proposta é qualificar pesquisadores e alunos de pós-graduação para a interpretação da evolução paleoecológica e paleoambiental em ambientais marinhos frente às variações do nível do mar/mudanças climáticas. Do ponto de vista científico, o objetivo da proposta é determinar a resposta sedimentar e ecológica da Plataforma de Abrolhos frente à variação no nível do mar e mudanças climáticas correspondentes. Esta temática se insere nos objetivos do IODP, sendo que várias expedições enfocando o tema já foram realizadas tais como as expedições IODP 310 e 325 (Tahiti e Grande Barreira de Corais), estando em consonância com as metas e linhas de atuação do IODP (1 e 2 do edital). No que tange àmetodologia, o desenvolvimento desta proposta tem como base a análise de dados já coletados, tais como testemunhos sedimentares ao longo da plataforma de Abrolhos, sondagens com drill hidráulico em recifes afogados, amostras coletadas nas paredes de dolinas afogadas, amostras de rodolitos e dados geofísicos de sísmica de alta resolução e batimetria de multi-feixe. Está sendo proposta, ainda, a coleta complementar de testemunhos na região do talude, sondagens em recifes mesofóticos e aquisição de mais dados geofísicos. A análise e interpretação dos dados sedimenatres e de rochas serão realizadas com base em análise petrográficas, sedimentares composicionais, geoquímicas (isotópicas), paleontológicas, metagenômicas e taxonômicas. Estas análises visam o uso de diferentes proxies em diferentes tipos de materiais (sedimento, rochas, rodolitos, etc) para uma melhor interpretação da evolução do sistema. Os resultados esperados abrangem a qualificação de grupos de pesquisa na análise e interpretação paleoecológica e paleoambiental de ambientes sedimentares mistos e carbonáticos, bem como o fortalecimento de linhas de pesquisa em respostas ambientais e ecológicas frente a mudanças climáticas. Em relação aos resultados científicos, espera-se um entendimento da evolução ambiental e ecológica da Plataforma de Abrolhos frente ao processo de deglaciação dos últimos 12-14 mil anos. O entendimento da resposta ecológica e sedimentar do ambiente marinho é crucial para a melhor conceituação e modelagem de possíveis mudanças ambientais em face ao momento de mudanças climáticas

Data de início: 2017-01-01
Prazo (meses): 60

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Aluno Doutorado Paulo Henrique Cetto
Colaborador Valéria da Silva Quaresma
Coordenador Alex Cardoso Bastos
Pesquisador Belinda Dechnik
Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910