IMPACTOS ASSOCIADOS A LAMA DE REJEITO NOS HABITATS MARINHOS E ESTUARINOS DA FOZ DO RIO DOCE: UMA VISÃO GEOLÓGICA, FÍSICA, QUÍMICA E BIOLÓGICA.

Resumo: Os rios aportam na plataforma e linha de costa adjacentes sedimentos finos das frações silte e argila, que são comumente associadas a matéria orgânica e poluentes de várias espécies desde orgânicos a inorgânicos. Isso faz do aporte fluvial a principal fonte de sedimentos terrígenos para os oceanos e consequentemente uma via importante de aporte de nutrientes para a região costeira. As características física, química e geológica deste ambiente formam então um sistema único com diluição de água salgada (estuários), aporte de nutrientes e acúmulo de sedimentos. Geralmente a plataforma continental adjacente à foz de um rio possui uma região conhecida como depocentro lamoso, que representa a principal área de deposição de sedimentos finos oriundos do rio. Como toda região de foz de um rio, o Rio Doce reflete geralmente as características dos múltiplos usos do entorno da bacia, acumulando e registrando produtos dos processos naturais e antrópicos. Não de forma diferente, essa região sofreu direta e indiretamente com o aporte da lama de rejeito oriunda do rompimento da Barragem de Fundão em Mariana MG em 05 de novembro de 2015. Os primeiros resultados obtidos pelas campanhas deste grupo indicam um afinamento da granulometria do sedimento que foi depositado e do material particulado em suspensão que aporta a região, além de impactos diretos na comunidade fito e zooplanctônica, além de metais pesados e aumento de nutriente na coluna d’água e sedimento.
As principais problemáticas observadas a partir do impacto podem ser listadas como sendo: i) extensão, caracterização e variação temporal do impacto no ecossistema; ii) balneabilidade das praias e iii) impacto nos recursos vivos/pesqueiros. Estas problemáticas estão associadas diretamente à necessidade de se conhecer a influência do impacto na saúde humana e no meio social. para conservação da biodiversidade, uma vez que região marinha e costeira afetada, inclui Unidades de Conservação: Reserva Biológica de Comboios, Refúgio da Vida Silvestre de Santa Cruz e Área de Proteção Ambiental Costa das Algas.
Assim, essa proposta tem como alvo investigar de forma integrada a extensão do impacto da lama de rejeito nos ambientes estuarino e marinho adjacente à foz do Rio Doce. Esta visão integrada engloba o mapeamento dos habitats marinhos e estuarinos tendo como base análises sedimentológicas, geoquímicas e biológicas do material que aportou oriundo do Desastre Ambiental de Mariana, e que continua aportando a região de estudo. O grupo de pesquisa envolvido nesta proposta possui uma análise de base da área afetada. Dados de sedimento de fundo com análises geológicas, geoquímicas e de comunidade bentônica existem para momentos anteriores ao desastre. Essa possibilidade de comparar momentos distintos é fundamental para entender o real impacto do evento no ambienta marinho. Outro ponto de grande relevância é o fato que o conhecimento, por ventura, gerado pela proposta apoiará as medidas de gestão, planejamento e implantação de áreas marinhas protegidas além de embasar a implementação de medidas mitigadoras para minimização dos impactos ambientais e sociais causados.

Data de início: 2017-07-03
Prazo (meses): 48

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Aluno Doutorado Rayme Loureiro dos Santos
Colaborador Kyssyanne Samihra Santos Oliveira
Coordenador Alex Cardoso Bastos
Coordenador Valéria da Silva Quaresma
Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910