Caracterização e monitoramento ambiental marinho na Bacia do Espírito Santo (Oceanografia Biológica e Química).

Resumo: A Bacia do Espírito Santo tem se tornado uma das mais promissoras para a exploração de petróleo e gás na atualidade. Esforços significativos têm sido feitos na última década para identificar reservas na região. Como resultado, vários campos petrolíferos em águas ultra profundas já iniciaram a fase de produção e vários outros devem entrar nessa fase brevemente o que torna essa bacia a segunda mais produtiva do Brasil, após a Bacia de Campos.
O grande benefício gerado pelo investimento feito nos últimos anos trás consigo também uma grande responsabilidade e preocupação pela sustentabilidade dos ecossistemas costeiros e oceânicos associados ás áreas de exploração, as quais se situam próximos a ambientes e fenômenos oceanográficos particularmente sensíveis e pouco conhecidos, tais como os recifes de corais do Banco de Abrolhos, os bancos submarinos da Cadeia Vitória Trindade e o Vórtice de Vitória.
Faz-se necessário o conhecimento da estrutura e funcionamento dos ecossistemas, em especial os de mar profundo e outros a este associado, ainda no início da fase de exploração comercial, para que futuros monitoramentos possam ser capazes de detectar distúrbios provocados pela exploração e medidas mitigadoras possam ser tomadas rapidamente.
Esses levantamentos e monitoramentos, além de fazerem parte da política de responsabilidade ambiental da Petrobrás, são importantes fontes de informações que subsidiam processos de licenciamento ambiental, cuja rapidez de tramitação é essencial à eficiência econômica do processo de exploração petrolífera.
Através do Termo de Cooperação “Estruturação e implementação de cinco laboratórios de Oceanografia Biológica e Química com foco em monitoramento ambiental de águas profundas”, a PETROBRAS aportou cerca de 1 milhão de reais na estruturação de diferentes laboratórios, fornecendo insumos para a compra de equipamentos e infra-estrutura, iniciando a preparação da instituição para atuação mais efetiva nas pesquisas marinhas na região. Recentemente, foi firmado contrato para desenvolvimento do Projeto de Caracterização Regional da Bacia do Espírito Santo com a UFES e outras instituições parceiras. Este projeto de grande magnitude se beneficiará da infraestrutura estabelecida pelo Termo De Cooperação acima mencionado, mas demandará ainda a ampliação da capacidade analítica da Instituição devido à dimensão e prazos específicos deste projeto regional.
O objetivo deste Termo de Cooperação é de ampliar a capacidade de realização da UFES para atendimento ao projeto de Caracterização Regional da Bacia do Espírito Santo, tanto envolvendo pesquisadores qualificados para o desenvolvimento de atividades técnicas relacionadas à geoquímica e oceanografia biológica quanto fornecendo equipamentos que ampliem a capacidade de realização analítica. A incorporação destes profissionais ampliará a contribuição científica do Projeto de Caracterização Ambiental da Bacia do Espírito Santo e Norte da Bacia de Campos

Data de início: 2014-01-20
Prazo (meses): 24

Participantes:

Papelordem crescente Nome
Coordenador Renato Rodrigues Neto
Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910