ESTADO Trófico de uma Lagoa Costeira: Lagoa Juara, Serra Es

Nome: Jéssica Cruz Venturini
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 09/09/2015
Orientador:

Nome Papelordem decrescente
Gilberto Fonseca Barroso Orientador

Banca:

Nome Papelordem decrescente
Camilo Dias Júnior Examinador Externo
Renato Rodrigues Neto Examinador Interno
Gilberto Fonseca Barroso Orientador

Resumo: As lagoas costeiras são muito afetadas pela intensa e desordenada ocupação da zona costeira, estando sujeitas a diversos impactos ambientais, sendo o processo de eutrofização, um dos principais responsáveis pela deterioração da qualidade da água nestes ecossistemas. A lagoa Juara (2,71 km²), localiza-se no município de Serra (ES) e é amplamente utilizada para recreação, turismo, pesca e piscicultura. Contudo, a lagoa vem sendo submetida a inúmeros impactos, como lançamento de efluentes in natura, bem como desmatamento das margens e arredores. Portanto, a compreensão da dinâmica do ecossistema aquático torna-se essencial para a preservação e manutenção da funcionalidade do mesmo. Com isto, este trabalho teve como objetivo avaliar a variabilidade das condições tróficas da lagoa a partir de indicadores limnológicos (parâmetros físico-químicos, nutrientes, razões NT:PT e clorofila a) e morfométricos, e avaliou-se a representatividade da aplicação dos Índices de Estado Trófico propostos por Toledo-Jr et al. (1984), Burns et al. (2000) e Lamparelli (2004). As amostragens foram realizadas em 5 estações amostrais distribuídas ao longo do eixo longitudinal da lagoa, em 4 semanas consecutivas na período chuvoso e 4 semanas consecutivas no período de estiagem, no ano de 2014. Os fatores locais, como o uso da terra e efluentes de esgotos domésticos, possivelmente influenciam as características limnológicas da lagoa, na qual pôde ser observada variabilidade espacial das mesmas, podendo ser subdividida em 2 compartimentos distintos: a porção superior, influenciada por áreas rurais, apresentando maiores razões NT:PT (10,7 39,2) e condições mesotróficas, e a porção inferior, influenciada pelos efluentes de esgotamento sanitário, apresentando as menores razões NT:PT (10,0 27,2) e condições eutróficas. A lagoa Juara apresenta características morfométricas (i.e. reduzidas profundidades e maior fetch para os ventos de SE-NW) associadas com a natural vulnerabilidade aos processos de eutrofização. Temporalmente, somente as variáveis turbidez, condutividade, pH e N-NO3 apresentaram diferença significativa entre as amostragens. Os índices propostos por Burns et al. (2000) e Lamparelli (2004), apresentaram resultados similares quanto ao enquadramento do estado trófico da lagoa e mostraram-se mais adequados do que o índice proposto por Toledo-Jr et al. (1984), uma vez que esse último tende a subestimar a condição trófica da lagoa.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910