REGISTRO Geológico Holocênico de Recifes Submersos na Plataforma de Abrolhos

Nome: Laura Silveira Vieira
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 28/05/2015
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Alex Cardoso Bastos Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Alex Cardoso Bastos Orientador
Gilberto Menezes Amado Filho Examinador Externo
Rodrigo Leão de Moura Examinador Externo

Resumo: Sistemas recifais são feições comuns ao longo de muitos litorais tropicais modernos e as evidências de suas ocorrências durante diferentes níveis do mar têm sido muito estudadas por todo o mundo. A Plataforma de Abrolhos (Brasil) engloba o mais importante sistema de recifes de coral noAtlântico Sul apresentando altos níveis de endemismo, baixa diversidade e morfologia única de crescimento (formações recifais conhecidas como "chapeirões").O desenvolvimento recifal na plataforma se dá pela presença de dois arcos recifais rasos paralelos à costa, além de recifes afogados ao longo das porções centro-norte e sul da mesma. O principal objetivo deste estudo é investigar o registro geológico do processo evolutivo holocênico de dois ambientes recifais na região da Plataforma de Abrolhos. Para isso foram sondados dois recifes submersos com seus topos a 4 e 15 metros de profundidade, chamados respectivamente de recifes ShallowWater (SW) e DeepWater (DW), onde foram coletados oito testemunhos distribuídos nas direções vertical (a partir do topo recifal) e horizontal (perpendiculares às paredesdo recife). Os testemunhos coletados tiveram recuperação variando entre 0,70 e 2,03 metros de comprimento. Foram observadas significativas formações coralinas e algais(espécies de corais como Mussismilia harttii., Millepora sp., Siderastrea sp., Porites sp., Favia sp. e Madracis sp.; e espécies de algas calcárias como Hydrolithon sp., Lithophyllum kotschyanum, Lithophyllum sp., Amphiroa sp., Mesophyllum erubescens e Sporolithon episporum). No entanto, verificou-se que os organismos mais abundantes na edificação recifal foram os briozoários da família Schizoporellidae. Grandes formações de briozoários incrustantesforam descritas em todos os testemunhos, compreendendo cobertura superior a 15% na superfície longitudinal dos mesmos e podendo alcançar cobertura de até 52,9% em dois deles. Porém, briozoários foram mais representativos nos testemunhos do recife DW. Contraditoriamente, a fraca concorrência espacial identificada nos briozoários incrustantes pode ser a explicação para a maior ocorrência destes organismos nos testemunhos do recife DW, onde organismos zooxantelados e fortes concorrentes espaciais em ambiente com grande incidência de radiação solar não conseguem se desenvolver. Datações utilizando radiocarbono evidenciaram que o recife DW é mais antigo que o recife SW, bem como um maior acúmulo recifal (e principalmente no topo recifal) no recife SW nos últimos mil anos. Pela presença de corais zooxantelados e algas características de ambientes rasos, sugere-se que toda a estrutura recifal analisada se desenvolveu em ambiente de baixa profundidade (< 30 metros) na plataforma continental.
Palavras-chave: Composição Recifal, Plataforma de Abrolhos, Holoceno Tardio.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910