ECOCARÁTERES e Processos Sedimentares na Plataforma Continental Adjacente à Desembocadura do Rio Doce (es)

Nome: Geandré Carlos Boni
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 13/03/2014
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Valéria da Silva Quaresma Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Arthur Ayres Neto Examinador Externo
Gilberto Fonseca Barroso Examinador Interno
Valéria da Silva Quaresma Orientador

Resumo: A plataforma continental adjacente à desembocadura do rio Doce, ambiente relativamente preservado e possivelmente sujeito a alterações e/ou intervenções antrópicas futuras, foi estudada quanto aos seus ecocaráteres e processos sedimentares associados. Dados de alta resolução de um perfilador de subfundo (3,5 KHz) foram coletados ao longo de 400 Km. Análises granulométrica e de porcentagem de Carbonato de Cálcio foram feitas em amostras de sedimentos superficiais, e os resultados submetidos às análises estatísticas de agrupamento e PCA. Foi observada boa correlação entre os cinco grupos sedimentares e ecocaráteres. O ecocaráter A (sem penetração) esteve restrito às regiões profundas (35-80 m.) indicando domínios sedimentares marinhos, associados à sedimentação biogênica (fundo arenoso a areno-cascalho-lamoso). Uma região transicional/marinha (25-35 m. & 55-80 m.), com processos sedimentares mistos (arenoso), foi indicada pelo ecocaráter D (refletores indefinidos). O ecocaráter B (vários refletores definidos, paralelos entre si e ao fundo marinho) esteve associado a elevados níveis de consolidação dos sedimentos (arenoso lamo-cascalhoso), refletindo domínios fluviais/costeiros relacionados a condições ambientais extremas (alta vazão com ventos alísios N/NE fortes e constantes). Os ecocaráteres C1 e C2 (camadas semitransparentes com resoluções distintas) distribuíram-se pelas regiões com o mesmo domínio sedimentar (mas entre 10 e 30 m.), em depósitos lamo-arenosos a areno lamosos. Sedimentação terrígena regular (aporte constante e menor consolidação dos sedimentos) foi associada ao ecocaráter C2 (mais raso e próximo à desembocadura). O ecocaráter C1 indicou sedimentação terrígena irregular e maiores consolidações de sedimentos, estando associado à atuação de frentes frias, por exemplo.

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910