AVALIAÇÃO Histórica de Metais Traço em Sedimentos Estuarinos do Rio Piraquê-açu (espírito Santo, Brasil)

Nome: Caroline Julliana Zotto
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 31/08/2012
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Renato Rodrigues Neto Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Renato Rodrigues Neto Orientador
Valéria da Silva Quaresma Examinador Interno

Resumo: O Rio Piraquê-açu é uma ecossistema costeiro localizado norte do estado do Espírito Santo e possui uma história de desflorestamento para a extração de madeiras nobres, cultivo agrícolas e, mais recentemente, para expansão dos plantios de eucalipto utilizada na indústria de papel e celulose. Apesar destes impactos o estuário é considerado uma área preservada e é cercada por uma floresta de mangue que fornece recursos para uma grande biodiversidade de organismos, e comunidades ribeirinhas e indígenas. Este trabalho busca compreender as principais fontes e processos que estão envolvidos no processo de sedimentação para metais traço e razão Corg/Ntotal preservada nos sedimentos de um testemunho localizado aproximadamente a 8 km da foz do rio. Para isto foram realizadas análises para o V, Cr, Cu, Zn, As, Ba, Pb e Fe (utilizando ICP-MS e digestão em microondas), Corg e Ntotal (analisador elementar CHNS/O), granulometria e a datação por C14 das conchas do último centímetro do testemunho. Os resultados estatísticos demonstram que já existem indícios de enriquecimento antrópico para os metais Cu e Pb, que podem estar associados ao escoamento superficial urbano, ao uso de combustíveis e ao aporte de esgoto não tratado a montante da área analisada. Os outros elementos puderam ser associados as fontes terrígenas e marinhas através das análises de componentes principais, que indicou que os elementos associados a deposição carbonática V, Ba e As, são também os elementos correlacionados com marcadores moleculares de árvores de mangue. Os elementos Cr, Zn e Fe não apresentaram influência antrópica e foram associados as fontes terrígenas. Existe uma alteração na tendência de distribuição granulométrica a partir do século XX, este período foi o final de uma pequena diminuição das temperaturas globais, conhecida como LIA, Little Ice Age, mas não exite uma correlação de fato entre os dois eventos devido a falta de caracterização dos padrões climáticos no período para esta porção do Brasil. O testemunho analisado também possuiu uma boa associação dos eventos de desmatamento descritos na história de colonização de Aracruz com os dados de Corg/Ntotal, mostrando o desenvolvimento das atividades de extração madeireira, os ciclos do açúcar e do café, até mais recente substituição da vegetação pelos plantios de eucalipto.

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910