ESTUDO Descritivo da Circulação Sobre a Plataforma Interna e o Efeito Ilha: Estudo de Caso de Guarapari (es)

Nome: Priscila Barboza Guaitolini
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 10/09/2010
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Renato David Ghisolfi Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Alex Cardoso Bastos Examinador Interno
Mauricio Almeida Noernberg Examinador Externo
Renato David Ghisolfi Orientador

Resumo: Este trabalho avaliou os processos de circulação sobre uma pequena região (30000 m2) da plataforma continental interna ao largo da cidade de Guarapari (ES). Os dados são fruto do monitoramento do recife artificial marinho Victory 8B. Os objetivos deste se basearam em caracterizar e avaliar o padrão da circulação sobre a região através de três conjuntos de dados (23 de Junho de 2006, 8 de Março de 2007 e 26 de Outubro de 2007) coletados in situ com auxílio de um perfilador acústico de correntes (ADCP). Esses dados foram comparados com o padrão de ventos e com o perfil termohalino. O processamento dos dados envolveram a exclusão de dados ruins, retirada do sinal da maré por meio de dados de modelagem numérica, filtros média-móvel e interpolação linear. Os resultados mostraram que as velocidades em Outubro de 2007 foram as mais intensas, seguido dos dados de Março de 2007 e, por último, Junho de 2006. As médias de velocidade estiveram, respectivamente, em torno de, 0,29 ms-1, 0,22 ms-1 e 0,20 ms-1. As orientações se mantiveram sempre para SW. Junho e Outubro exibiram semelhanças no padrão de circulação, apresentando um oceano em duas camadas, sendo a mais superficial direcionada ao oceano e as mais profundas em direção à costa. Esse processo foi atribuído aos ventos oriundos de Norte, responsáveis por provocar a ressurgência das águas mais profundas que se direcionavam à costa. Paralelamente ao processo de ressurgência foi observado que nos dados de Junho e Outubro os vetores de velocidade rotacionavam ciclonicamente com a profundidade, que também foi atribuído ao processo de ressurgência. Março se mostrou atípico, mantendo a mesma orientação ao longo de toda a coluna de água (223,27º), sendo possivelmente devido à sobreposição de uma forçante, como gradientes de densidade e/ou pressão, à forçante do vento. O efeito ilha foi avaliado e, de acordo com as observações dos campos de velocidade e das componentes paralela e perpendicular à costa, foi notada a geração de wake pelas Ilhas Rasas com possível geração de vórtices ciclônicos, sendo concordante com o cálculo do parâmetro de ilha P. O padrão termohalino se mostrou importante na transferência de momentum ao longo da coluna de água. A representatividade da maré em relação aos dados de corrente coletados foi menor do que o encontrado na literatura, resultado das diferenças entre a linha de costa e o fundo e devido às instabilidades do modelo. É necessária a investigação, em termos de espectros de corrente, para melhor entender a influência das forçantes sobre a plataforma interna.

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910