Aplicação da Abordagem Dpsir Como Estrutura
para Avaliação Integrada da Eutrofização e Da
qualidade da Água das Lagoas Jacuném e Juara,
bacia do Rio Jacaraípe (serra-es)

Nome: Felipe Serrano Lellis
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 31/08/2010
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Gilberto Fonseca Barroso Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Gilberto Fonseca Barroso Orientador
Jarbas Bonetti Examinador Externo
Renato Rodrigues Neto Examinador Interno
Valéria da Silva Quaresma Examinador Interno

Resumo: A abordagem DPSIR constitui uma armação bastante flexível, abrangendo aplicações de cobertura espacial variando do local ao internacional, tratando de assuntos específicos como eutrofização de uma lagoa costeira em particular, mas também abrangentes, como a gestão integrada de bacias hidrográficas e zonas costeiras. Esta é fomentada por diversos tipos de indicadores: Indutor Antrópico e/ou Natural, Pressão, Estado do ambiente, Impactos e de Resposta. Neste sentido, o objetivo do capítulo 1 foi realizar uma revisão da estrutura de indicadores DPSIR, desenvolvida pela OECD/EEA, aplicada em ecossistemas aquáticos inseridos no continuum flúvio-marinho. Por outro lado, se os usos de indicadores agregam diversos níveis de informação facilitando, por exemplo, a tomada de decisão e formulação de políticas públicas, a falta de dados ambientais constitui uma limitação ao planejamento ambiental, representando de maneira análoga, um entrave ao desenvolvimento de estratégias de fomento a gestão dos recursos hídricos. Neste sentido, o objetivo do capítulo 2 consistiu na modelagem hidrológica da bacia do rio Jacaraípe (Serra, ES) a fim de edificar e aprimorar o entendimento das vazões dos córregos desta bacia. A abordagem metodológica contempla a aplicação de um modelo de chuva-vazão baseado no balanço hídrico climático de estado constante. Os dados de entrada do modelo foram obtidos por meio da interpolação geoestatísticas dos registros pluviométricos de 30 anos dos 14 postos circunvizinhos a bacia, devido à ausência de posto de medição na extensão da mesma. A análise dos semivariogramas indicou além de anisotropia, que o fenômeno estudado apresenta forte dependência espacial (IDE<25%) em ambas as estações climáticas consideradas (chuvosa, em novembro e seca, em junho). Os modelos que melhor se ajustaram ao semivariograma experimental foram o modelo exponencial (estação chuvosa) e o gaussiano (estação seca). A vazão estimada obtida para o rio Jacaraípe na estação chuvosa é de 7,26±1,55 m³/s, enquanto na estação seca, a vazão apresenta-se uma ordem de magnitude inferior (0,61±0,185 m³/s). As vazões dos córregos que compõe a rede de drenagem foram fortemente influenciadas pelas vazões dos efluentes das ETEs, expressivamente na estação seca. A determinação da vazão subsidiou a obtenção do tempo de residência de ambas afluente das lagoas Jacuném e Juara, 29 e 14 dias, respectivamente. Na verdade os dados de vazão foram obtidos devido à demanda de se computar o aporte de nutrientes e matéria orgânica biodegradável (kg/dia) Indicadores de pressão na ótica da abordagem DPSIR apresentados no capítulo 3. O objetivo deste capítulo consistiu na aplicação da abordagem DPSIR como estrutura para avaliar o processo de eutrofização nas lagoas Jacuném e Juara utilizando um Sistema de Informação Geográfica como suporte a análise ambiental integrada da bacia do rio Jacaraípe (Serra, ES), localizada no sudeste brasileiro. Apesar de apresentar 10 ETEs, apenas 62,7% da população estão conectadas a rede de esgoto na bacia do rio Jacaraípe, 28% apresentam fossas sépticas/negras e 9,3% não possuem qualquer tipo de esgotamento sanitário. A condição sanitária nesta bacia está diretamente relacionada às pressões impingidas as lagoas via sistema fluvial. Cada córrego drena bacias com características sanitárias e de uso do solo distintas acarretando em diferentes contribuições. Desta forma as Pressões sobre os ecossistemas lacustre da bacia do rio Jacaraípe estão relacionados aos aportes de fósforo total, nitrogênio nitrato, nitrogênio Kjeldahl e matéria orgânica biodegradável. Estas pressões modificam a qualidade da água (Jacuném: Classe 4 e Juara: Classe 2-3), bem como o estado trófico das lagoas condições eutróficas/hipereutróficas restringindo o uso da água e representando prejuízo a saúde humana e risco a biodiversidade. Por fim, conclui-se que o crescimento econômico observado no município da Serra não proporcionou a melhoria na qualidade ambiental da bacia do rio Jacaraípe, o que diretamente se reverteria em melhoria na qualidade de vida dos habitantes.

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910