HETEROGENEIDADE DE FUNDO DE RODOLITOS EXPRESSA EM DADOS DE BACKSCATTER

Nome: Gabriella Aleixo Rocha
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 25/03/2019
Orientador:

Nomeordem crescente Papel
Alex Cardoso Bastos Orientador

Banca:

Nomeordem crescente Papel
Helenice Vital Examinador Externo
Arthur Ayres Neto Examinador Externo
Alex Cardoso Bastos Orientador

Resumo: Esse estudo tem como objetivo mostrar o potencial de mosaicos de backscatter acústico obtidos com Sistema de Sonar Multifeixe (SMF) para mapear a variação de densidade de nódulos ao longo de fundos de rodolitos. Muitos estudos identificam acusticamente os fundos de rodolitos, no entanto, verificar quantitativamente a densidade de rodolitos no fundo marinho a partir do backscatter de SMF é uma nova abordagem.
Dados de alta resolução de SMF foram adquiridos em Abril de 2018 na área de proteção ambiental (APA) Costa das Algas, localizada na plataforma continental do Espírito Santo. Três áreas foram selecionadas baseadas em dados pretéritos, totalizando 73km² de aquisição. Os dados de SMF foram processados no software Caris Hips and Sips 9.1.7, gerando assim, três mosaicos georreferenciados de backscatter. Em junho de 2018, 80 estações foram selecionadas na área de estudos, onde foram coletados vídeos do fundo marinho. Esses vídeos foram analisados no software Coral Point Count com Excell Extension, fornecendo assim o tipo de substrato marinho e o percentual dos diferentes substratos em cada estação.
Os dados foram segmentados em classes baseadas na variação da intensidade do backscatter e nas informações de verdade de fundo. Como resultado final, identificamos três classes relacionadas aos fundos de rodolitos em diferentes densidades: Baixa cobertura de rodolitos (inferior a 25%), moderada cobertura de rodolitos (entre 25% e 35%) e alta cobertura de rodolitos (acima de 35%). Também foram identificadas classes associadas a sedimento não consolidados, bioconcreções e algas vermelhas incrustadas do gênero Peyssonnelia.
A metodologia utilizada nesse trabalho é uma ferramenta eficaz para mapear habitats bentônicos e detalhar a distribuição de nódulos ao longo de um banco de rodolitos. Essa metodologia pode ser aplicada para melhorar a gestão espacial, monitorar e proteger ecossistemas marinhos vulneráveis.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910