MÉTODOS GEOACÚSTICOS EM AMBIENTES PORTUÁRIOS: UMA ABORDAGEM MULTIFREQUÊNCIAL

Nome: Alvaro Eduardo Silva Soares
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 25/03/2019
Orientador:

Nomeordem crescente Papel
Alex Cardoso Bastos Orientador

Banca:

Nomeordem crescente Papel
Luiz Antonio Pereira de Souza Examinador Externo
Fabian Sá Examinador Interno
Alex Cardoso Bastos Orientador

Resumo: Métodos geofísicos são um conjunto de métodos indiretos de investigação que têm grande relevância no estudo de áreas submersas e se destacam dos métodos convencionais, pois possibilitam fácil acesso aos locais de interesse e permitem a observação contínua de estratos geológicos ao longo de um perfil. Investigações geoacústicas utilizam o princípio físico da propagação de ondas elásticas para investigar a morfologia de fundo e espessuras de camadas em subsuperfície.
Em regiões portuárias, métodos acústicos são extensamente aplicados para a determinação de riscos à navegação e dragagem. Obras de dragagem são extremamente onerosas e podem trazer consequências ambientais pela ressuspensão de materiais contaminados e perturbação das condições de sedimentação. Dessa forma, levantamentos batimétricos mono e multifeixe, sísmicos, sonográficos e densimétricos são atividades comuns para resolução destas e outras questões. O padrão de backscatter do sinal acústico, obtido a partir destes métodos pode ser organizado em grupos e utilizados para mapear o fundo marinho e para classificação sedimentológica.
O Espírito Santo tem destaque nacional em logística com seus portos de grande dimensão, nomeadamente o Porto de Tubarão da empresa Vale. A manutenção dos canais de navegação sempre foi uma preocupação da empresa, bem como para a marinha e para os locais onde esses portos estão localizados.
Uma obra desse tamanho gera uma enorme demanda de recursos, além de uma série de questões ambientais e sociais, dessa forma, é de grande importância produzir estudos e técnicas que mapeiem e identifiquem o fundo e subfundo de regiões portuárias com qualidade. Os questionamentos que se seguem são: quais são as frequências dos métodos acústicos mais adequadas para mapear a espessura sedimentar em um canal de navegação e quais são os riscos à navegação e dragagem apresentados por definir tais características a partir destes métodos.
Esses questionamentos são respondidos através da aplicação de métodos acústicos com abordagem multifrequência no mapeamento de fundo e subfundo dos ambientes portuários e da análise da resposta do sinal produzido por esses métodos.
Neste aplicou-se técnicas acústicas para imagear o fundo e o subfundo marinho, visando definir a melhor estratégia e frequências a serem aplicadas em terminais portuários para questões que concernem a análise da profundidade náutica, avaliação do risco à navegação e confiabilidade da resposta do sinal acústico que correspondam à real profundidade que exige em dragagens de manutenção. Dados de multifrequencia acústica e de densidade do material de fundo foram coletados, assim como se buscou produzir uma classificação sedimentológica de superfície marinha e a proposta de análise integrada destes dados a fim de justificar os usos e cuidados com cada técnica.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910