EFEITO DA URBANIZAÇÃO NAS CARACTERÍSTICAS GEOQUÍMICAS DA LAGUNA DE CARAPEBUS - SERRA/ES

Nome: Ninive Soares Silva Servare
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 25/06/2018
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Ana Teresa Macas Lima Orientador
Gilberto Fonseca Barroso Co-orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Ana Teresa Macas Lima Orientador
Gilberto Fonseca Barroso Coorientador
Maria Tereza Weitzel Dias Carneiro Lima Examinador Externo
Renato Rodrigues Neto Examinador Interno

Resumo: As ICOLLs são extremamente sensíveis à intervenção humana, especialmente em relação ao estresse associado ao incremento de nutrientes e contaminantes. Assim, elementos traço e principais (medidos por ICP-MS e XRF), matéria orgânica, carbono orgânico total, razão C/N, nitrogênio total, enxofre total e fósforo foram determinados em um testemunho de sedimento da Laguna de Carapebus, Serra, ES, Brasil, com o objetivo de identificar influências antrópicas significativas associadas a evolução do uso da terra na bacia hidrográfica desta ICOLL urbanizada. Esta laguna sofreu uma transição na origem do sedimento depositado que motivou uma mudança em sua hidrodinâmica. Os resultados de razão C/N indicaram que num primeiro momento o sedimento depositado derivava especialmente de plâncton, em seguida a fonte principal era plantas de plantas superiores, condizente com o grande desmatamento ocorrido na bacia, por fim, a laguna passou a ser fortemente influenciada pela descarga de esgoto doméstico. Quanto a hidrodinâmica, o crescimento urbano desordenado na bacia motivou o fechamento mais frequente da barra da laguna, que atualmente é aberta de forma mecânica para evitar inundações em períodos chuvosos. Essa transição foi acompanhada por descargas de esgoto não tratado levando a um enriquecimento orgânico e metálico nos últimos anos. Os elementos que apresentaram incremento nos últimos anos foram Ag (máx. 1,44 mg.kg-1), Cd (máx. 0,42 mg.kg-1), Cr (máx. 60,78 mg.kg-1), Cu (máx. 22,32 mg.kg-1), Pb (máx. 3,73 mg.kg-1), Se (máx. 12,93 mg.kg-1) e Zn (máx. 41,24 mg.kg-1). Sendo assim, este estudo alerta para mudanças químicas e físicas nas ICOLLs derivadas do desmatamento e urbanização.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910