Dinâmica Sedimentar no Sistema Estuarino do Piraquê-Açu - Aracruz/ES

Nome: Rodolfo Teixeira Alves
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 16/07/2018
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Valéria da Silva Quaresma Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Alex Fabiano Jardim Examinador Interno
Marcos Nicolás Gallo Examinador Externo
Valéria da Silva Quaresma Orientador

Resumo: Estuários são ambientes costeiros de enorme importância ambiental, social e econômica. No contexto da dinâmica sedimentar, estes ambientes atuam principalmente como exportadores de sedimento para a plataforma, porém em algumas situações, eles também podem importar material para dentro do sistema. Dentre os principais estuários do estado do Espírito Santo, o Sistema Estuarino do Piraquê-Açu e Piraquê-Mirim (SEPAPM) destaca-se por possuir a maior área de manguezal do estado (Barroso, 2004). Inúmeros artigos enfocam as características biológicas, químicas, físicas e sedimentológicas desse ambiente (Barroso, 2004; Neves, 2010; Melado, 2011; Leite, 2012; Silva et al., 2013; Monteiro, 2015, dentre outros). Entretanto, ainda há poucas informações sobre a dinâmica sedimentar do SEPAPM. Dessa maneira, o presente trabalho tem como objetivo principal estimar o balanço sedimentar total na seção inferior do estuário sob diferentes condições de maré (sizígia e quadratura) e de vazão fluvial (período seco e chuvoso), assim como avaliar sua contribuição sedimentar para a plataforma. Utilizando dados coletados in situ de corrente, temperatura, salinidade e material particulado em suspensão, foi analisado o comportamento hidrodinâmico dentro do sistema estuarino, bem como a quantificação da carga total de sedimento transportado através de equações de carga de fundo e carga em suspensão propostas por Van Rijn (2007). De um modo geral, o estuário apresentou uma fraca estratificação da coluna d’água, caracterizado, portanto, por um processo de mistura por difusão turbulenta. Fato esse observado através do cálculo do Número de Richardson por camada (RiL), cujos valores ficaram inferiores a 20. A exceção foi o braço norte do estuário (rio Piraquê-Açu), que durante as quadraturas apresentou a formação de uma cunha salina e RiL superior a 20, sendo caracterizado pelo processo dominante de mistura por entranhamento (entrainment). Em relação ao balanço sedimentar, o estuário se comportou como exportador de sedimento em quase todas as campanhas realizadas, com exceção do período de sizígia chuvoso, onde houve importação de sedimento. O transporte de carga em suspensão foi superior ao transporte de carga de fundo em todas as campanhas analisadas, e os períodos de sizígia apresentaram maiores volumes de transporte em relação aos períodos de quadratura. Anualmente, calcula-se que o SEPAPM seja responsável por exportar aproximadamente 10,5 toneladas de sedimento para a plataforma.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910