Geomorfologia dos Recifes Submersos de Abrolhos e Sua Relação Com As Variações do Nível Relativo do Mar

Nome: Lucas Cabral Lage Ferreira
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 20/03/2017
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Alex Cardoso Bastos Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Alex Cardoso Bastos Orientador
Valéria da Silva Quaresma Examinador Interno

Resumo: A posição, geomorfologia e extensão dos recifes submersos são influenciadas para geomorfologia da plataforma continental e condições físicas durante o seu desenvolvimento, mas também fornecem informações valiosas a respeito das variações do nível relativo do mar (NRM) e mudanças eustáticas. Este trabalho tem como objetivo fazer o mapeamento das estruturas recifais de Abrolhos na região dos recifes Califórnia, a partir de equipamentos geofísicos. Foi realizada uma expedição para coleta de dados geofísicos de Sonar de varredura lateral e batimetria multifeixe. Foi coletado um mosaico de 4,5 Km x 8,5 Km de dados geofísicos. A batimetria multifeixe foi utilizado um Multibeam Reson MODELO 7101, frequência 240 KHz, varredura média de 60 metros e ângulo de varredura 90º. Os dados sonográficos foram coletados com um sonar modelo EdgeTech 4100, varredura média de 100 metros e frequência de 500 KHz. Os dados foram coletados, processados e exportados para ser trabalhado em plataforma Gis. A partir de dados geofísicos será avaliada em detalhes a morfologia dos diferentes tipos de pináculos e bancos recifais submersos. Os dados sonográficos já foram processados e analisados. Foram identificados pináculos e bancos recifais em diferentes graus de desenvolvimento, bem e mal desenvolvidos. Na região mais rasa (até 20 metros de profundidade) predominam pináculos bem desenvolvidos, enquanto que na porção mesofótica predominam bancos recifais mal desenvolvidos. No momento, os dados de batimetria multifeixe estão sendo processados. A batimetria fornecerá dados precisos da profundidade do recife e altura de cada estrutura. Para relacionar a morfologia dos recifes com a idade de crescimento serão utilizados os testemunhos e datações realizadas por Vieira (2015) que foi realizada nos mesmo recifes deste presente estudo. A autora coletou 8 testemunhos em dois pináculos a diferentes profundidade (14 e 25 metros) e descreveu as espécies construtoras do recifes bem como realizou diversas datações em diferentes profundidades.

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910