Distribuição Global de Metais Pesados Utilizando Tartarugas Marinhas (chelonia Mudas) Como Bioindicador.

Nome: Nairana Santos Fraga
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 16/03/2017
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Agnaldo Silva Martins Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Agnaldo Silva Martins Orientador

Resumo: As tartarugas marinhas são animais que se encontram ameaçados de extinção. Das espécies existentes a tartaruga verde Chelonia mydas é a mais comumente encontrada na costa dos continentes. Estes animais estão sujeitos à influência antrópica de diversas formas, seja por pesca incidental, captura de ovos, caça e poluição marinha. Da poluição encontrada nos oceanos os metais pesados são relevantes por apresentarem potencial de toxicidade e bioacumulação nos animais, como ocorre em tartarugas marinhas. Metais pesados como o cádmio, cobre e zinco é de grande toxicidade e disponibilizados nos oceanos de forma antrópica e natural, porém a distribuição global destes metais nas tartarugas marinhas é desconhecido. Estes animais possuem vida longa o que os possibilita a bioacumulação destes metais ao longo da vida, e por existirem estudos dosando estas concentrações em tecidos por todo o mundo, permitem que comparações e inferências sejam realizadas acerca da distribuição destes metais pesados. Espera-se a partir deste estudo que seja determinado o padrão de distribuição destes metais em todo o mundo utilizando a C. mydas como organismo teste, em diversos locais do mundo, para avaliar a importância de fontes locais ou globais na contaminação de metais pesados na biota marinha.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910