Dinâmica Populacional de Plântulas de Rhizophora Mangle L. no Sudeste do Brasil

Nome: Karen Otoni de Oliveira Lima
Tipo: Tese de doutorado
Data de publicação: 25/10/2018
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Mônica Maria Pereira Tognella Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Gilberto Fonseca Barroso Examinador Interno
Leila de Lourdes Longo Examinador Externo
Mônica Maria Pereira Tognella Orientador
Renato David Ghisolfi Examinador Interno
Viviane Fernandez Cavalcanti Examinador Externo

Resumo: O conhecimento da dinâmica populacional e análise do padrão de crescimento das plântulas de mangue são utilizados como subsídios para o entendimento ecológico dos manguezais. As duas variáveis demográficas que são consideradas como básicas e necessárias para caracterizar a dinâmica e para avaliar sua capacidade de recuperação de qualquer população após algum distúrbio são taxa de recrutamento e mortalidade específica. Dentre os métodos disponíveis para avaliar o crescimento das plântulas, destaca-se a análise das curvas de crescimento, a qual envolve o ajuste de modelos de regressão para estimar a taxa de crescimento dos indivíduos. Esse trabalho tem como objetivo avaliar a dinâmica populacional de plântulas de Rhizophora mangle, isto é, ingresso e sobrevivência das coortes. Estes dados foram empregados para selecionar e comparar modelos lineares e não lineares estimando os parâmetros que melhor descrevam as curvas de crescimento dessas espécies. Em 2008, foram estabelecidos 3 áreas de estudo no manguezal da foz do rio Itaúnas, Conceição da Barra, Espírito Santo. Em cada área foram demarcadas parcelas em bosques de franja onde há o monitoramento mensal da densidade e da altura das plântulas que são marcadas com lacres plásticos numerados e avaliadas por ano de ingresso. Também são realizadas coleta da salinidade (in situ), temperatura e precipitação (Estação Meteorológica de São Mateus). A análise integrada da série temporal de dados populacionais determinará os padrões de ingresso e mortalidade da espécie, alterações na estrutura populacional em longo prazo e o modelo que melhor representa o padrão de crescimento dos indivíduos. Espera-se que esta análise contribua para o entendimento do funcionamento dos manguezais em situações de mudanças climáticas.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910