DESENVOLVIMENTO E MORFODINÂMICA DE PRAIAS SOBRE PLATAFORMAS DE ABRASÃO EM LITORAIS DE MICROMARÉ DOMINADOS POR ONDAS

Nome: Brenda Sílva de Souza
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 21/03/2018
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Jacqueline Albino Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Alex Cardoso Bastos Examinador Interno
Dieter Carl Ernst Heino Muehe Suplente Externo
Jacqueline Albino Orientador
Leonardo Azevedo Klumb Oliveira Examinador Externo
Valéria da Silva Quaresma Suplente Interno

Resumo: Praias limitadas por plataformas de abrasão são influenciadas por sua geomorfologia singular e se comportam de forma diferente das praias arenosas quanto a morfologia e aos processos morfodinâmicos. A aplicação de modelos tem se tornado uma hábil ferramenta no estudo destes complexos ambientes. O modelo de Trenhaile (2004), proposto para litorais de meso e macromaré, tem sido considerado o mais adequado dentre os diversos modelos. Este modelo considera a morfologia das plataformas de abrasão e as condições hidrodinâmicas do litoral. Estudos acerca do desenvolvimento de praias sobre plataformas de abrasão em litorais de micromaré, frequentemente, não consideram a contribuição de fatores hidrodinâmicos. Neste sentido, o objetivo do presente estudo consistiu em propor um novo modelo de desenvolvimento de praias sobre plataformas de abrasão em litorais de micromaré, onde as ondas correspondem ao principal agente morfodinâmico. Esta proposta foi baseada nas premissas e elementos considerados por Trenhaile (2004). Ademais, a influência das plataformas de abrasão nos processos morfodinâmicos destas praias foi avaliada. A área de estudo compreendeu três praias limitadas por plataformas de abrasão localizadas no litoral do Espírito Santo, Brasil, classificado como um litoral de micromaré. Algumas adaptações do modelo de Trenhaile (2004) foram aplicadas para o êxito do novo modelo: o limite vertical do perfil praial emerso foi obtido por meio do run up das ondas durante o período de sizígia e os dados morfológicos do perfil foram obtidos através de levantamentos em campo. Os resultados indicam que as plataformas de abrasão não impedem a acumulação de sedimentos e, consequentemente, a formação das praias. Contudo, este substrato exerce significativa influencia na limitação do espaço de acomodação, na morfologia e nos processos morfodinâmicos das praias. Em geral, o novo modelo foi capaz de representar a morfologia e a capacidade de acomodação de sedimentos dos sistemas praiais estudados.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910